quinta-feira, 23 de outubro de 2014


Convite à leitura


"Dois ovos ao fim da tarde" 
( e por que não:
Dois contos ao fim de semana?)


foto tirada com telemóvel no Café Império 

No Café Império, muito próximo da nossa Escola, encontra-se, numa das paredes laterais, este lindíssimo painel de Louis Dourdil, que foi agora restaurado.

Fernando Namora conta-nos um pouco da história da execução desse mural, no seu conto, "Dois ovos ao fim da tarde", (in Resposta a Matilde).

Pretexto para uma visita ao Café. Pretexto para ler outros contos de Fernando Namora*! Pretexto, também- por que não?-  para refletirmos sobre os “mistérios” da criação artística: O mistério das coisas onde está ele?/ [...]o único sentido oculto das coisas/ é elas não terem sentido oculto nenhum [...]. (Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa, in “O Guardador de rebanhos”, Poema XXXIX).


[...]
- Repare- dizia-lhe o pintor, numa inflexão paciente e bem-humorada -, repare nesse almofariz. E nas cascas de ovos. É assim que se faz a mistura. Um pouco de pó vermelho e aí temos o pincel a fazer das suas.
O visitante permanecia silencioso. Esforçava-se por recuperar a sua personalidade de lojista para quem os caprichos dos clientes são sempre justifica...dos.[...]
- Razão tinha Vossa Excelência. Dois ovos por dia, claro. Não precisava de mais. Desculpe ter duvidado. Vender ovos para alguém pintar! [...] Tenho a honra de estar a falar com...
- Luís Dourdil, pintor.

Ler o conto AQUI.

(Nota: em “logista”, leia-se lojista).

*Fernando Namora (1919-1989) - médico e escritor neorrealista.

Obras de Fernando Namora na nossa coleção (em arquivo):

-Domingo à Tarde
-Estamos no Vento
-Noite (A) e a Madrugada
-Fogo da Meia Noite
-Cavalgada Cinzenta
-Clandestinos (Os)
-Retalhos da Vida de Um Médico
-Trigo (O) e o Joio
-Sete (As) Partidas do Mundo


Maria Celeste Januário (professora de Português)


Sem comentários: