sexta-feira, 11 de outubro de 2013


Padre António Vieira e o seu tempo




Este ano continuaremos a divulgar a nossa coleção, criando oportunidades de diálogo entre a biblioteca e os currículos.
Começamos com uma mostra de  textos sobre o Padre António Vieira e alguma bibliografia da estética barroca, que tanto marcou a sua obra.

Grupo de professores de HCA.

Não Há Paz no Mundo
Enchem a boca de paz, e não há tal paz no mundo. E senão, quem há tão cego, que não veja o mesmo hoje em toda a parte? Dizem que há paz nos reinos, e os vassalos não obedecem aos reis: dizem que há paz nas cidades, e os súbditos não obedecem aos magistrados: dizem que há paz nas famílias, e os filhos não obedecem aos pais: dizem que há paz nos particulares, e cada um tem dentro em si mesmo a maior e a pior guerra. Havia de mandar a razão, e o racional não lhe obedece; porque nele, e sobre ela domina o apetite. (...) A paz do mundo é guerra que se esconde debaixo da paz. Chama-se paz e é lisonja: chama-se paz, e é dissimulação: chama-se paz, e é dependência: chama-se paz, e é mentira, quando não seja traição. 

Padre António Vieira, in "Sermões"


Citação via  Citador

Sem comentários: