quinta-feira, 3 de outubro de 2013


4ª conferência luso-brasileira de Acesso Aberto




          Cidade universitária -  USP - Universidade de São Paulo, de 6 a 9 de outubro 2013.

Estudo financiado pela Comunidade Europeia afirma que o acesso a publicações de investigação atinge o seu «ponto de viragem».

A tendência global no sentido de tornar acessíveis para os leitores, livres de encargos, os resultados da investigação — o chamado «acesso aberto» — foi hoje confirmada num estudo financiado pela Comissão Europeia. Este novo estudo sugere que o acesso aberto está a atingir um ponto de viragem, estando agora disponíveis gratuitamente cerca de 50% dos artigos científicos publicados em 2011. É quase o dobro do nível estimado em estudos anteriores, sendo explicado por uma metodologia aperfeiçoada e uma definição mais lata de «acesso aberto». O estudo calcula também que mais de 40% dos artigos científicos revistos pelos pares e publicados em todo o mundo entre 2004 e 2011 estão agora disponíveis em linha em regime de acesso aberto. O estudo incide na UE e em alguns países vizinhos, para além do Brasil, Canadá, Japão e Estados Unidos da América.

Ao tornar mais acessíveis os resultados da investigação, o acesso aberto pode contribuir para uma ciência melhor e mais eficiente, bem como para a inovação nos setores público e privado. Máire Geoghegan-Quinn, Comissária Europeia responsável pela Investigação, a Inovação e a Ciência, afirmou: «Estes resultados destacam que o acesso aberto está para ficar. Colocar os resultados da investigação na esfera pública faz melhorar a ciência e reforçar a nossa economia baseada no conhecimento.»

O estudo analisou a disponibilidade de publicações académicas em 22 domínios do conhecimento no Espaço Europeu da Investigação, no Brasil, no Canadá, no Japão e nos Estados Unidos. São vários os países e as disciplinas em que se encontram agora disponíveis gratuitamente mais de 50% dos artigos. A disponibilidade gratuita da maioria dos artigos já é uma realidade nos domínios da ciência e tecnologia em geral, da investigação biomédica, da biologia e da matemática e estatística. Os domínios em que a disponibilidade de acesso aberto é mais limitada são as ciências sociais e humanas e as ciências aplicadas, a engenharia e a tecnologia.
[...]

LER +

Fonte: 4ª ConfOA 2013



Sem comentários: