domingo, 6 de janeiro de 2013


Geração sinopse

imagem via Pesquisa Mundi.

Criou-se a Internet, mas não se privilegiou a dimensão das relações humanas. Onde havia morosidade, encontrou-se a eficiência e a velocidade;   onde havia insuficiência de informação, gerou-se a profusão de conteúdos.  Estamos bem? Luli Radfharer *, um especialista em comunicação digital,  diz-nos que não. Há excessos de respostas para tudo, muitas de qualidade duvidosa, a profusão de informação e o livre acesso obrigam a portentosas filtragens, nem sempre neutras e quase sempre interesseiras. Nesta ordem de ideias, a replicação de falsidades ou deturpação da informação faz-nos presas fáceis dos pseudo-especialistas e dos assertivos. Deste modo, vamo-nos tornando preguiçosos e cada vez menos reflexivos.

Enfim, sejamos coerentes, dispensem esta sinopse e leiam a fonte primária, o artigo da Folha de S.Paulo. Vale a pena.

Ler texto original AQUI.



Sem comentários: