sexta-feira, 23 de março de 2012


A beleza do mundo na forma das palavras



fonte: JL-Jornal de Letras , Artes e Ideias, nº 1082, de 21 de março a 3 de abril 2012 (na biblioteca)

Autor: Alberto da Costa e Silva*

[declaração de amor à Língua Portuguesa]

«Esta língua faz-me. Está em meu corpo como o sangue. Sou o que ela quis que eu fosse, desde que, na primeira meninice, descobri que um gato é um gato e não un chat, e um cão é um cão e não a dog.
Foi por meio dela que me abri para a beleza do mundo, pois o que via, ouvia e sentia tinha e tem a forma de palavras.
Nunca sonhei em outro idioma e, se me comovo com Dante e Shakespeare, é diferente a emoção com que leio Camões.  Neste escuto uma voz que, sendo dele, é minha. Sinto que lhe imito a alegria, a tristeza, a indignação e o espanto.
É com a saudade dos seus versos que nos entendemos todos os que falamos esta língua que guarda o sabor da aventura de camponeses que se tornaram marinheiros.»


*Alberto da Costa e Silva, brasileiro, poeta, ensaísta e historiador. Foi presidente da Academia Brasileira de Letras (JL, id.)
imagem via Google

Sem comentários: