sexta-feira, 16 de dezembro de 2011


Grande ambição é que, sendo o mar tão imenso...

(do Sermão de santo António aos peixes do padre António Vieira)

Grande ambição é que,
sendo o mar tão imenso
e o céu tão extenso,
tu queiras navegar no meu corpo,
cheio de curvas e entrelinhas
como se fosses um barco,
Que grande! a ambição que tu tinhas.
Como se o barco não bastasse
e desta vez, nem o fogo chegasse
correrias até à lua,
e em vez de sóbria, queria-la nua,
por mais longe que ela ficasse.


Grande ambição é que,
sendo o meu corpo tão extenso
e o meu cabelo tão imenso,
tu ainda queiras conhecer o sol
como se fosse gelo que nem lua,
como se fosse pedra da nossa rua.


Da Patrícia Almeida,  11º C

Nota: Este texto foi publicado com autorização da Patrícia Almeida. Não é permitida a reprodução sem a legítima autorização.

Sem comentários: