segunda-feira, 21 de março de 2011


Feita de mármore sou...

No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Poesia, eis alguns trabalhos de alunos do 11º ano, turmas A e B. Os textos produzidos mostram a qualidade a que os nossos alunos já nos habituaram.


Feita de mármore sou…
Do pó nasci, de pó na verdade não passo,
Com o tempo apenas a pó retornarei.
Branca, serena, imóvel por fora…
Preta, frustrada, inquieta por dentro…
Assim me criaste,
Assim com tuas mãos me moldaste
E assim com tua alma me deixaste.

Prima obra tua
Rejubilas, em companhia, de falso orgulho,
Sem no entanto teu nome, em mim, esculpido ter sido.

Em ignorância de tudo sempre viveste,
Agora que a verdade te assombrou,
Te esmagou com o peso do mármore de que me fizeste:
Que é de ti, artista inseguro?
Que farás, artista cobarde?
Que dirás, artista ingrato?

Mas não, corpo forte por fora, esconde sempre fraqueza dentro,
Esconde moleza, mágoa, ódio…e amor!
E apesar de nada mais de triste, minha vida devo a ti, meu criador.
O ódio cinzento na minha expressão, que provoca o olhar penetrante de admiradores,
Matando-me por dentro, causa em ti alegria escarlate,
Causa vida em ti, não sendo eu mais que um mártir da tua arte…

Posso chorar. Gritar, suspirar, desfalecer…
Sem nunca superar a divida que para contigo tenho,
Depois de tudo, de uma vida…
Apenas posso permanecer,
Aqui, para sempre, com amor, sempre tua…


da Catarina Domingues - 11º A


Nota: Este texto foi publicado com autorização da Catarina. Não é permitida a reprodução sem a legítima autorização.

Sem comentários: