sexta-feira, 21 de maio de 2010


Estabelecimento prisional nº 39


Estabelecimento Prisional nº 39,

Olaias, 16-11-2009

Luís,

Parece que afinal o rei há tanto esperado e lembrado em dias de nevoeiro, ainda não voltou. Talvez nem devesse, eu não desejaria voltar ao sítio que perdeu a glória em troco do luxo mal calculado. Já não há mais terra por descobrir e as riquezas já não querem ser exploradas, nem os navegadores as querem explorar. O universo português necessitava, agora, era da tal “força sobre-humana” que referiste terem tido num outro período temporal.

Tal como imaginaste, os homenzinhos invisíveis que vivem no céu e observam tudo o que fazemos acabaram por vencer. Já te sentes menos icónico agora que sabes que houve um certo menino que não deu importância ao que pediste? Vivemos agora como tu viveste. Talvez não tão miseráveis, devido ao alto astral, mas, mesmo assim, já não vale a pena morrer por isto. Foste um observador bem mais sortudo que eu.

Até onde nos levará este abuso de espírito?

algures no tempo,

o verme

(André - 12ºm)






Nota: Este texto foi publicado com autorização do autor. Não é permitida a reprodução sem a autorização do seu legítimo autor.

Sem comentários: