sexta-feira, 5 de março de 2010


Há o teu olhar que não consigo sentir

do André Maia (10º I)

[respeitamos as liberdades ortográficas do autor]

Há o olhar que não consigo sentir
Há folhas que voam com a brisa do mar
Há lágrimas a cair do céu, do séu, do seu
Há uma alma que se considera reflexo
Há sentimentos que fogem de ti
de ti e de todos
Há o sol
Há o sol que nos encanta, canta em todos nós
e ali no canto
Há uma corrente de ar, que apaga a brisa e leva as folhas
para outro lugar
Há cor que se impõe aos pretos e brancos que
Há aqui e ali
Há sempre mais alguém
Há tudo o que passa

Sem comentários: