quarta-feira, 9 de dezembro de 2009


Auto-retrato

Texto da Violeta Calado (10ºano I)

Eu sou só um olho.
Um olho infinito por dentro.
Sou só um olho.
Tudo o que vejo entra de imediato na minha
escuridão cheia do Mundo, e torna-se nada. Nada
mais que nada.
E eu, eu sou quase nada.
Eu sou só um olho.
Escuro e cheio e vazio por dentro.
Só um olho.

Sem comentários: