sábado, 14 de novembro de 2009


Um livro de Poesia a cada dia

O blogue porosidade etérea divulga um livro de poesia a cada dia.











Walt Whitman
Folhas de Erva
Tradução de Maria de Lourdes Guimarães
Relógio D'Água, 2002

Sento-me a contemplar

Sento-me a contemplar todas as dores do mundo, toda a opressão e vergonha,
Ouço os secretos soluços convulsivos dos jovens angustiados consigo
mesmos, cheios de remorsos após o que fizeram,
Vejo no meio da miséria a mãe ser maltratada pelos filhos, morrer
desprezada, magra e desesperada,
Vejo a mulher maltratada pelo marido, vejo o traiçoeiro sedutor das
jovens,
Reparo nos ciúmes inflamados e no amor não retribuído e que se
tenta esconder, vejo estes espectáculos na terra,
Vejo as agitações do combate, a pestilência, a tirania, vejo mártires
e prisioneiros,
Observo a fome no mar, observo os marinheiros tirando à sorte
aquele que vai ser morto para salvar a vida dos outros,
Observo o desrespeito e os aviltamentos lançados por gente
arrogante sobre os trabalhadores, os pobres, os negros e seus
semelhantes;
Tudo isto — toda a mediocridade e agonia sem fim eu contemplo
sentado,
Vejo, oiço e fico em silêncio.

Publicada por Inês Ramos em 8:00 AM
Etiquetas:

Sem comentários: