domingo, 20 de setembro de 2009


Bibliotecas 2.0

A ideia de uma biblioteca silenciosa, livros a perder de vista e um leve cheiro a mofo está a ficar ultrapassada. O artigo publicado em http://edition.cnn.com/2009/TECH/09/04/future.library.technology/ diz-nos que as velhas bibliotecas estão a dar lugar a centros de aprendizagem e a espaços lúdicos. As salas calmas, propensas ao estudo e à concentração, são substituídas por salas de discussão e trabalhos de grupo. E os jovens preocupam-se mais com o chat ou o Facebook do que perceber como podem encontrar um livro através do Sistema de Classificação Decimal (CDU). De acordo com o mesmo artigo, as bibliotecas digitais são já um recurso imprescindível. E trava-se uma luta entre autores, editoras, responsáveis de bibliotecas e a Google, que procura digitalizar os livros e disponibilizá-los em linha. As bibliotecas terão menos livros no futuro?

É claro que nos invade já uma certa nostalgia não só do livro impresso como do silêncio e recolhimento de que tanto gostamos quando queremos trabalhar, mas os responsáveis da educação/ os agentes de ensino/os professores adaptaram-se sempre bem às sucessivas gerações de jovens, com os seus hábitos, modas e "manias", procurando, e conseguindo, transmitir conhecimento em condições adversas.
JS

Sem comentários: