terça-feira, 8 de julho de 2008


Gaspard Monge, o inventor da Geometria Descritiva


Gaspard Monge foi um dos sábios da Revolução Francesa que prosseguiu os estudos de Desargues sobre projecções. Desargues, aristocrata do século XVII, era admirado pelo cardeal Richelieu, devido aos seus estudos sobre Geometria Projectiva. Monge, no século seguinte, ampliou os estudos de Desargues e aplicou-os a uma ciência prática, a Geometria Descritiva. Pela primeira vez, foi possível realizar projectos à escala, precisos, devido a um código próprio.
Os projectos possibilitados pela Geometria Descritiva foram de tanta utilidade na construção de fortes, pontes, diques, canhões e navios que esta ciência foi segredo de estado durante vinte anos. Os projectos de construções civis e militares que percorreram o Atlântico a bordo de navios franceses, foram decisivos na independência americana. Durante o Império, Napoleão Bonaparte distinguiu Monge com o título de Conde de Péluse, mas a dedicação do novo conde ao estudo e ao trabalho continuou com tanta força, que lhe chamavam "o conde revolucionário". O seu carácter granjeou-lhe amigos e discípulos dedicados. Uma das obras de Monge foi a fundação da Escola Politécnica de Paris, que se mantém um prodígio de avançados estudos científicos e uma referência mundial. Depois da queda de Napoleão, seguiu-se o período de Restauração da realeza, apoiado por todas as monarquias da Europa. Os recém-chegados ao poder, vingativos e incultos, destituíram Monge do seu cargo na Escola Politécnica e, quando este faleceu, proibiram qualquer cerimónia em sua homenagem. No entanto, dias depois, uma multidão de cientistas, estudantes, republicanos, aristocratas e cidadãos comuns, partiram da Escola Politécnica na simulação do seu cortejo fúnebre. Foi a melhor das homenagens. Desde então, ao evocar a sua memória, é como continuar aquele cortejo em louvor da inteligência e da liberdade. Ninguém se lembra dos outros.
Autor do texto: António Pereira, prof. de GD na Escola António Arroio.

Sem comentários: