quarta-feira, 25 de junho de 2008


Dois para um ou um para dois: a miragem das estatísticas

autor: Secundino Correia *

A tecnologia só faz sentido na educação, se trouxer inovação na forma de fazer e de pensar. As actividades desenvolvidas em redor da tecnologia devem, pois, ser perspectivadas como novas oportunidades educativas, mas integradas num todo que lhes atribuirá e reforçará o seu sentido.
Convém não esquecer também que a tecnologia não é “mágica”, não produz alterações ou transformações só por si, mas tem antes um papel de ingrediente, junto de outros necessários para o “bolo” que é a Educação nos nossos dias. A tecnologia não é uma panaceia para a reforma do ensino, mas ela pode ser um catalisador significativo para a mudança. Dois alunos por computador não significa absolutamente nada em termos da qualidade das aprendizagens, da inovação das metodologias e das estratégias, da apropriação e construção do conhecimento.

Ler texto integral

in Bica - Boletim de Interactividade, Comunicação e Aprendizagem, nº 56 Junho 2008

* Mestrado em Sistemas e Tecnologias da Informação (Área de especialização em Tecnologias da Informação na Educação), pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, com a dissertação de mestrado sobre o tema “Ambientes Integrados de Aprendizagem”, sob orientação da Prof. Doutora Teresa Mendes, da FCTUC.

Sem comentários: