domingo, 19 de fevereiro de 2017


António Gedeão, "Poema da Malta das Naus"



Portugal no Japão - arte Namban 





António Gedeão, vinte anos após o seu desaparecimento, continua a encantar-nos.
O "Poema da Malta das Naus" é uma homenagem ao povo português.
Fica agora aqui a nossa homenagem ao poeta.


"Lancei ao mar um madeiro,
espetei-lhe um pau e um lençol.
Com palpite marinheiro
medi a altura do Sol.
 
Deu-me o vento de feição,
levou-me ao cabo do mundo.
pelote de vagabundo,
rebotalho de gibão.
 
Dormi no dorso das vagas,
pasmei na orla das praias
arreneguei, roguei pragas,
mordi peloiros e zagaias.
 
Chamusquei o pêlo hirsuto,
tive o corpo em chagas vivas,
estalaram-me a gengivas,
apodreci de escorbuto.
 
Com a mão esquerda benzi-me,
com a direita esganei.
Mil vezes no chão, bati-me,
outras mil me levantei.
 
Meu riso de dentes podres
ecoou nas sete partidas.
Fundei cidades e vidas,
rompi as arcas e os odres.
 
Tremi no escuro da selva,
alambique de suores.
Estendi na areia e na relva
mulheres de todas as cores.
 
Moldei as chaves do mundo
a que outros chamaram seu,
mas quem mergulhou no fundo
do sonho, esse, fui eu.
 
O meu sabor é diferente.
Provo-me e saibo-me a sal.
Não se nasce impunemente
nas praias de Portugal."

António Gedeão in Teatro do Mundo, 
Obra Completa (2007)

Fonte digital:
www.romulodecarvalho.net 
Imagem: The Portuguese in Japan: Nanban Art & Trade


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017


Apaixone Uma Criança Pela Leitura


Uma mensagem do site inglês National Literacy Trust. Adotámos a ideia.
A leitura é a paixão que fica para toda a vida.




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017


Teoria Crítica da Comunicação



Autor: Fuchs, Christian.
Novas leituras de Lukacs, Adorno, Marcuse, Honneth e Habermas na era da Internet.

Critical theory of communication (versão em digital)

terça-feira, 31 de janeiro de 2017


"E"

            
            «E» , Francine Desbiens et Bretislav Pojar


Os Médici : Patronos do Renascimento

               
  

Retirado do youtube



David Almeida - Gravura




Convida-se a comunidade escolar para a exposição David de Almeida – Gravura, que será inaugurada na próxima quinta-feira, dia 2 de fevereiro, pelas 18h, na Escola Artística António Arroio.
Artista plástico cuja obra se estendeu à Pintura, à Escultura, à Arte Pública e sobretudo à Gravura – a sua principal e mais reconhecida forma de expressão –, David de Almeida (São Pedro do Sul, 1945 – Lisboa, 2014), considerado uma referência na Gravura contemporânea europeia, frequentou o curso de Gravador Litógrafo na Escola de Artes Decorativas de António Arroyo (1963/65), instituição a que voltou mais tarde para ensinar (1978/84).
Esta exposição pretende dar a conhecer a obra gravada de David de Almeida, assim como os seus processos de conceção e de produção.

Cartaz e texto retirados de Escola António Arroio.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017


Escrever Com Arte - 5ª edição




Aberto a todos os alunos da escola, o concurso Escrever Com Arte vai na sua 5ª edição. 
Um prémio António Arroio, que decorre no âmbito da disciplina de Português, com o apoio habitual da biblioteca |centro de recuros.

O regulamento está disponível na biblioteca ou aqui.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017


Como aprende o cérebro humano


Infográfico: Oskar Cymerman

A partir da visualização do vídeo TEDx Amsterdam Talk by Sandra von Aalderen "Teachers, know your brain!", Oskar Cymerman criou este infográfico.  Estudos recentes no campo das neurociências aprofundam a forma como o cérebro reage à informação.
Para uma maior eficácia na aprendizagem, é importante que os educadores saibam como o cérebro humano adquire conhecimentos, aumenta a motivação, a curiosidade, a criatividade e a autoconfiança.

Vídeo "Teachers Know your brain", por Sandra Aalderen

terça-feira, 10 de janeiro de 2017


The Man Who Fell to Earth



"Na próxima Quarta-feira a AE da Escola Artística António Arroio retoma o ciclo de cinema semanal com a projeção do filme ‘The Man Who Fell to Earth’ de Nicolas Roeg e com David Bowie no papel principal.
Um ano depois da morte de um dos maiores artistas e músicos do século XX, vamos recordar esta breve passagem de Bowie pelo cinema, uma das artes da sua irreverente vida, neste filme de Nicolas Roeg. David Bowie faleceu no passado ano, a 11 de Janeiro, dias depois do lançamento do seu último álbum, ‘Blackstar’."
Lugares limitados à lotação da sala.
Mais informações na página do evento no Facebook: Cinema na Arroio