terça-feira, 31 de julho de 2018


Escola Antonio Arroio: Exposição Final1718




A biblioteca |centro de recursos/blogue deseja boas férias a todos os utilizadores e seguidores.

Algumas imagens dos trabalhos expostos no átrio da escola. 
A exposição está aberta ao público até 30 de setembro.  Ver aqui.


imagens (credits): José Fernando Vasco

sexta-feira, 27 de julho de 2018


Nick Drake - Pink Moon





Afinal, não vi a lua vermelha, perdi a oportunidade do século. Pink Moon serve-me de consolo. É sempre bom recordar Nick Drake (1948-1974), "o músico que só viveu depois de morrer". (Jornal Público, de 30-7-2004)

"Pink Moon" do Album Pink Moon (1972)

Saw it written and I saw it say
Pink moon is on its way
And none of you stand so tall
Pink moon gonna get ye all
And it’s a pink moon
Hey it's a pink moon
Pink, pink, pink, pink, pink moon
Pink, pink, pink, pink, pink moon
I saw it written and I saw it say
Pink moon is on its way
And none of you stand so tall
Pink moon gonna get ye all
It’s a pink moon
Yea, it's a pink moon

Compositor: Nick Drake

Produtor: John Wood

Biografia de Nick Drake - Wikipedia 

Ver/ouvir também do mesmo compositor -  Northern Sky, Cello Song ou Riverman.




quinta-feira, 26 de julho de 2018


Exposição Final 2017-2018





Inaugura-se a exposição final dos trabalhos dos alunos, realizados ao longo do ano letivo em todos os cursos e suas especializações, bem como na disciplina de Desenho A.

Patente no átrio da escola, de 26 de julho  a 30 de setembro.

terça-feira, 24 de julho de 2018


Jazz em Agosto




Credits: Gulbenkian.pt

Pela primeira vez na sua história, toda a programação do Jazz em Agosto organiza-se um torno de um só músico. E dificilmente a escolha poderia recair sobre um nome mais marcante – quer para a história do festival quer para o percurso fundamental da música que pudemos escutar nas últimas décadas. John Zorn é esse músico, com uma profunda marca autoral, com uma atividade tão fecunda quanto variada, tão essencial como banda sonora para este tempo que se tornou um símbolo indesmentível não apenas da vanguarda artística nova-iorquina, como criador, mas também como desbravador de novos territórios e congregador de uma comunidade que gira à sua volta.  Ler texto integral aqui.  

Retirado de: gulbenkian.pt/musica

sábado, 14 de julho de 2018


Elogio da Distância





ilustração: Tran Nguyen


Na fonte dos teus olhos 
vivem os fios dos pescadores do lago da loucura. 
Na fonte dos teus olhos 
o mar cumpre a sua promessa. 

Aqui, coração 
que andou entre os homens, arranco 
do corpo as vestes e o brilho de uma jura: 

Mais negro no negro, estou mais nu. 
Só quando sou falso sou fiel. 
Sou tu quando sou eu. 

Na fonte dos teus olhos 
ando à deriva sonhando o rapto. 

Um fio apanhou um fio: 
separamo-nos enlaçados. 

Na fonte dos teus olhos 
um enforcado estrangula o baraço. 

Paul Celan, in "Papoila e Memória" 
Tradução de João Barrento e Y. K. Centeno 


retirado de "Pensador"
ver Paul Celan 

segunda-feira, 9 de julho de 2018


Pedro Morais (1944-2018)



Pedro Morais - 25 abril 2004 - Galeria Lino António - António Arroio

Artista plástico e antigo professor da Escola António Arroio, o "nosso" Pedro já não está entre nós. 
Na arte, fica-nos a sua visão de puro esteta, o seu rigor e preocupação formais, que ele defendia de forma muito veemente, intransigente até.

Também recordo dele o lado contido e tímido na sua relação com os outros, mas sempre atento e afável com os amigos. 

Por fim, cito as palavras bonitas do curador João Fernandes que sobre ele escreveu : "Ter conhecido a sua integridade, esse saber bonito e quase invisível com que me ensinou que não há diferença entre a presença e a memória, a voz e o silêncio, a sombra e a luz, tudo quanto parece o oposto de si mesmo e tudo o que nos completa em cada momento que vivemos, será sempre um caminho mais acessível ao continuar na sua companhia". (Jornal Público, 9 de julho de 2018)

Ver Público
Ver Wikipedia


terça-feira, 26 de junho de 2018


Eu e O Livro - projeto de 10º ano 2015/2016



Livro em pdf AQUI.

"Eu e o Livro", no ano de 2015/2016, foi uma atividade de sucesso entre a disciplina de projeto e a Biblioteca, na vertente do domínio da leitura. Mais, se houve projetos de uma intensa articulação entre diversas  tecnologias, este é um deles. 
Neste projeto, o livro e a leitura são os principais referentes. E o apelo à sensibilidade e vivências pessoais de alunos do ensino secundário era, à partida, um ingrediente fundamental.

O local da exposição (obrigatório): a biblioteca, corredores e patamares adjacentes.                                                  
Para uma melhor compreensão dos objetivos e processos, ler o excelente texto de apresentação, da autoria de Bruno Santos.


«A exposição“ Eu e o Livro” apresenta-nos a visão que os alunos do 10.º ano lançam sobre o objeto livro, um referente trabalhado, lido e vivido com a criatividade, sensibilidade e experimentalismo que as tecnologias permitem, interpretando e traduzindo os conceitos desenvolvidos na área de projeto.
O estatuto da peça livro e da leitura conquistam o espaço criativo, como matéria prima onde as múltiplas referências foram reescritas através da fotografia, da performance, do cinema ou do design.
O livro, que tem um papel determinante na aprendizagem do conhecimento ao serviço do saber universal, é um referente fascinante para ser trabalhado, aproximando-se dos que veem nele um objeto de informação e emoções, ou dos que se distanciaram do livro pelos apelos contemporâneos que outros suportes trouxeram ao nosso dia a dia. Os alunos integraram o livro nas suas práticas artísticas, apreendendo a sua relação com outras áreas do conhecimento, e com as suas interpretações contribuíram de forma decisiva para uma apurada intensidade no entendimento criativo do projeto, materializando-o sobre a forma de fotografias, fotogramas, vídeos e cartazes.
Esta exposição convida-nos a explorar o centro de recursos / biblioteca mas também os lugares menos previsíveis, quer na forma como o tema foi desenvolvido, quer no território expositivo, transportando para o espaço da arte, salas, corredores, escadas, lugares quotidianos onde a sua funcionalidade passa a integrar a observação atenta do espetador, que descobre os “livros” fora dos seus limites e que permite aos alunos no seu processo de aprendizagem interpretarem os conteúdos abordados numa perspetiva desafiante.
Os aspetos culturais, sociais e políticos encerrados na página impressa ganham a frescura de um novo olhar que encara o livro para além do seu papel histórico, não deixando de lado a sua função determinante enquanto arquivo do saber, que tudo pode descrever, para passar a ser também um referente formal, escultórico, uma superfície para ser escrita e riscada, um suporte que o design organiza e estabiliza, um conteúdo que a imagem estática ou animada regista; um sem fim de possibilidades que uma página permite e que os alunos souberam “escrever” e “ler”.»

 Bruno Santos, abril 2016 (prof. fotografia)



Créditos de imagem: Nuno Gonçalves

Nota:O pdf contém imagens dos alunos envolvidos. O trabalho em digital, bem como o futuro livro impresso, pertencem à Escola António Arroio. Este post foi feito com conhecimento da direção da escola.

sábado, 9 de junho de 2018


Conversa com João Pinto Coelho




O escritor João Pinto Coelho veio à nossa Escola para uma sessão sobre livros e leitura com alunos das turmas B, D e J ,do 10.º ano, no dia 4 de junho, pelas 8:30 h.

A conversa centrou-se em vários temas, tendo como referência os dois romances do escritor, Perguntem a Sarah Gross Os Loucos da Rua Mazur (prémio Leya 2017). Os tempos do Holocausto estiveram em foco, havendo espaço para perguntas e respostas e diálogo entre todos os participantes.O encontro teve lugar na sala 301, e contou com a colaboração de professores dos departamento de Ciências Sociais e Humanas e de Línguas e Literaturas.

via página da Escola António Arroio

terça-feira, 5 de junho de 2018


Primeiras Impressões



A Sociedade Nacional de Belas Artes e a Escola Artística António Arroio, têm o gosto de o(a) convidar para a inauguração da exposição “Primeiras Impressões” dos alunos finalistas do Curso de Produção Artística – especialização em Serigrafia e Gravura da Escola Artística António Arroio, que terá lugar no dia 1 de Junho, pelas 18h30, na Galeria de Arte Moderna (1º piso).
A exposição estará patente até dia 30 de Junho de 2018, todos os dias úteis das 12h00 às 19h00 e aos sábados das 14h00 às 20h00.
Os alunos apresentam alguns dos trabalhos desenvolvidos ao longo do ano letivo 2017/18, no âmbito de um projeto interdisciplinar que envolve as disciplinas de Gestão das Artes e Projeto e Tecnologias. Possibilitado por uma parceria com a Sociedade Nacional de Belas Artes e com o apoio da Fundação PLMJ, os alunos pretendem partilhar os seus projetos artísticos e estimular o público a um interesse pelas técnicas e processos intemporais da Gravura e da Serigrafia.
Sociedade Nacional de Belas Artes
Rua Barata Salgueiro, 36
1250-044 Lisboa
E-mail: geral@snba.pt
Web: http://www.snba.pt
cartaz e texto via página da escola AA